Blog

Blog

Design, Inovação, Tecnologia

Desenvolvimento acelerado de produtos na Indústria 4.0.

Parte 1

Para acelerar a inovação e acompanhar o ritmo das mudanças, os setores de P&D das empresas podem (e devem) usar recursos da 4° revolução industrial para projeto de produtos. Se por um lado o produto físico é importante, por outro, as novas tecnologias digitais são fundamentais. A indústria 4.0 abre a oportunidade não só para tornar a indústria mais flexível e conectada, como também para complementar produto com serviços anteriormente desconhecidos.

As demandas se tornaram voláteis e os movimentos do mercado imprevisíveis, ocasionados pelo surgimento de tecnologias disrruptivas, em rápida mutação. Os setores de pesquisa e desenvolvimento das empresas estão sob intensa pressão para se adaptarem, sendo solicitados a criar produtos e serviços inovadores e conectados – fundamentais para o crescimento orgânico – e também para proporcionar a criação de modelos de negócios que combinem o mundo físico e o digital, capazes de competir em novos mercados.

Mas com uma ampla gama de tecnologias e métodos para escolher, por onde começar a acelerar e melhorar o desenvolvimento de produtos? Como projetar os produtos de amanhã hoje?

Norteados pela nossa experiência de mais de 17 anos de mercado, em auxiliar os clientes a atualizar suas práticas de desenvolvimento de produtos, apresentaremos abaixo uma das soluções que se destacam na indústria 4.0 por seus benefícios substanciais. 

Gêmeos Digitais

Para acompanhar de perto as experiências dos clientes e o desempenho continuo dos produtos, muitas empresas desenvolveram mecanismos sofisticados para coletar dados sobre os produtos que venderam.

Os sensores incorporados em equipamentos físicos, por exemplo, podem revelar muito mais do que as empresas imaginavam sobre o desempenho de seus equipamentos no mundo real.

Porém, quando as empresas precisam enviar atualizações para seus produtos, elas encontram dificuldades de garantir que cada atualização funcione bem em todas as versões de um equipamento.

Para facilitar essa tarefa, a indústria utiliza os chamados “gêmeos digitais”, que são modelos virtuais de produtos físicos ou processos industriais combinados com uma plataforma de software, que aprendem e fornecem dados continuamente para simulação e análise, que são utilizadas pelos engenheiros para orientar o desenvolvimento de novos produtos, bem como orientar atualizações que corrigem falhas em produtos existentes ou adicionam recursos, como por exemplo, de estoque, capacidade fabril, tempos de ciclo produtivo e entrega em tempo real na planta fabril.

O gêmeo digital permite perspectivas muito diferentes sobre sua contraparte física e está em constante interação com ele. Todos os estágios do ciclo de vida são registrados e analisados desde o projeto e desenvolvimento de um ítem, processos de produção, logística e, finalmente, operação. Observações e dados de sensores fluem de volta para o gêmeo em tempo real e podem ser usados ​​para otimização permanente e para atualizações contínuas.

Essas percepções podem levar as empresas a avanços acelerados no design de novos produtos, bem como a reduções significativas no tempo e nas despesas associadas a atividades como a manutenção, o recall de produtos, o cumprimento de requisitos regulatórios e a reformulação dos processos de fabricação.

Paxer amplia atuação em impressão 3D.

A Paxer atua com design e engenharia de produtos desde 2001 e vem trabalhando intensamente com impressão 3D na última década. Recentemente, além dos serviços de impressão 3D em FDM, passou a oferecer impressão em uma tecnologia inovadora, que permite maior detalhamento nos modelos que são impressos em resina, através da tecnologia LCD-SLA. E para complementar, a Paxer tornou-se revendedora autorizada em Santa Catarina de uma das melhores marcas de impressoras 3D nacionais, passando a revender impressoras 3D e filamentos para impressão 3D.

Leia mais

Paxer é mentora em programa de MBI FIESC/SENAI.

A paxer atuou como mentora do programa Produtos Inteligentes e Desafio de IoT, vinculado ao MBI Indústria Avançada FIESC/SENAI. A pós-graduação visa elevar o patamar das empresas para Indústria 4.0.

O MBI Indústria Avançada é uma experiência imersiva que conduz os líderes e tomadores de decisão em rotas de conhecimentos para a inserção das indústrias na quarta revolução industrial, favorecendo a geração de novos negócios, produtos e serviços, a eficiência dos processos, bem como a conexão de cadeias produtivas.

Leia mais